Minibiografia

Bruna Beber nasceu em 1984, em Duque de Caxias (RJ), e vive em São Paulo. É poeta e tradutora. Estreou na poesia com a fila sem fim dos demônios descontentes (7Letras, 2006), e publicou também balés (Língua Geral, 2009), rapapés & apupos (7Letras, 2012) e Rua da Padaria (Record, 2013). É autora de um infantil Zebrosinha (Galerinha, Record, 2013), em parceria com Beta Maya. Seus poemas já foram publicados em antologias e sites na Alemanha, Argentina, Espanha, Itália, México e Portugal. Participou como autora convidada de diversos eventos literários no Brasil e no exterior, entre os mais recentes a FLIP (Festa Literária Internacional de Paraty), em 2013, e a Göteborg Book Fair 2014, na Suécia, integrando a comissão oficial de escritores que representaram o Brasil. Aliado à literatura, realiza trabalhos em artes visuais, e inaugurou, em fevereiro de 2016, sua primeira individual – Brinquedos Espalhados – no Oi Futuro (Ipanema, RJ), dentro do projeto Programa Poesia Visual e que abarca mais de trinta trabalhos produzidos nos últimos dez anos, entre áudios, vídeos, esculturas, desenhos, livros, quadros, fotos e objetos.

Biografia completa

Bruna Beber nasceu em 1984, em Duque de Caxias, Rio de Janeiro, e vive em São Paulo desde 2007. É poeta e tradutora. Estreou em livro com a fila sem fim dos demônios descontentes (7Letras, 2006), e também é autora de balés (Língua Geral, 2009), rapapés & apupos (7Letras, 2012), Rua da Padaria (Record, 2013) e de um infantil – Zebrosinha (Galerinha, Record, 2013). Seus poemas já foram publicados em antologias e sites na Alemanha, Argentina, Espanha, Itália, México e Portugal.

Participou como autora convidada de diversos eventos literários no Brasil, ministrando oficinas ou dando palestras e participando de debates, e no exterior, entre as mais recentes a FLIP (Festa Literária Internacional de Paraty), em 2013, e a Göteborg Book Fair 2014, na Suécia, integrando a comissão oficial de escritores que representaram o Brasil.

Aliado à literatura, realiza trabalhos em artes visuais, e inaugurou, em fevereiro de 2016, sua primeira exposição individual – Brinquedos Espalhados – no Oi Futuro (Ipanema, RJ), dentro do projeto Programa Poesia Visual, com curadoria de Alberto Saraiva. A exposição abarcava mais de trinta trabalhos produzidos e realizados nos últimos 10 anos, entre eles: áudios, vídeos, esculturas, desenhos, livros, quadros, fotos e objetos.

Teve duas participações na Mostra Sesc de Artes, a primeira em 2008, no projeto Poema Passageiro, de Ricardo Silveira, que colocou em circulação poemas de dez autores contemporâneos brasileiros em mais de 500 televisões de ônibus, metrô, livrarias e aeroportos da cidade de São Paulo. E a segunda em 2012, a convite de Marcelino Freire, escreveu 5 microcontos para os projetos QR Contos e Literatura Móvel, que exibiram os textos em 10 estações de metrô de São Paulo e unidades do SESC SP, ao lado de textos de Arnaldo Antunes, Lirinha, Andréa Del Fuego, Fernando Bonassi, Milton Hatoum e outros.

Em dezembro de 2011, realizou sua primeira exposição – PAPÉIS PRIVADOS – nos banheiros da Galeria Virgílio/ Centro Cultura b_arco, durante a Balada Literária, evento de literatura de Marcelino Freire. A exposição consistia em poemas escritos em papéis de forrar assento sanitário, enquadrados e expostos somente nos banheiros do espaço. Em 2012, a exposição PAPÉIS PRIVADOS foi para o Rio de Janeiro, dentro do evento PALAVRAS CRUZADAS, no OI Futuro Ipanema, no qual a artista se apresentou ao lado de André Dahmer e da banda Letuce, num espetáculo de música, poesia e performance.

Participou do Festival do Contemporâneo – que reuniu diversas áreas (literatura, dramaturgia, artes plásticas e visuais e música) da produção artística carioca – em dezembro de 2006 no Espaço Oi Futuro (RJ). Dividiu a curadoria da exposição Blooks – Letras na rede, com o poeta Omar Salomão, em setembro de 2007, no Oi Futuro (RJ), sob coordenação de Heloisa Buarque de Hollanda.

Teve sua estreia como autora de teatro na peça FRAGMENTOS, baseada no livro Fragmentos do discurso amoroso, de Roland Barthes, escrevendo uma das cenas. Outros autores foram participantes: Alessandra Colasanti, Felipe Bragança, Jô Bilac, Keli Freitas e outros. Direção de João Paulo Cuenca e Fernanda Félix. A peça ficou em cartaz no Oi Futuro Flamengo (RJ) em 2012.

Teve seus poemas adaptados para a peça AVESSO – Um relato íntimo, juntamente com textos de Clarice Lispector e Marguerite Duras. A peça esteve em cartaz em SP em dezembro de 2012, no Teatro Ágora.

Algumas antologias nas quais figuram poemas da artista: É agora como nunca – Antologia incompleta da poesia contemporânea brasileira (Companhia das Letras, 2017), Garganta (Azougue Editorial, 2016), ¿Qué será de ti?/ Como vai você? – Poesia Joven de Brasil (Espanha e México: Vaso Roto Ediciones, 2014), Poesia.br, antologia de poesia brasileira desde os cantos ameríndios até a poesia contemporânea, organizada por Sergio Cohn (Azougue Editorial, 2013), Amar Verbo Atemporal, (Rocco, 2012), Otra línea de fuego (Maremoto: Espanha, 2009), antologia bilíngue de poesia brasileira contemporânea organizada por Heloísa Buarque de Hollanda e Teresa Arjón, Traçados Diversos, antologia de poesia contemporânea (Ed. Scipione, 2009), Poesia do dia: poetas de hoje para leitores de agora (Ática, 2008) e Caos portátil: poesía contemporánea del Brasil (Ed. El Billar de Lucrecia: México, 2007).

Complete biography

Bruna Beber is a Brazilian poet born in 1984 in Duque de Caxias, Rio de Janeiro. Her book debut was a fila sem fim dos demônios descontentes [“the endless line of unsatisfied demons”] (7Letras, 2006); followed by balés [“ballets”] (Língua Geral, 2009); rapapés & apupos [“blandishments&jeers”] (7letras, 2012); and one of 2013’s most reviewed and praised Brazilian poetry books, Rua da Padaria [“Bakery’s Street”] (Record, 2013). She is also author of a children’s book, Zebrosinha (Galerinha, Record, 2013). Her poems were translated and published in anthologies and web sites in Germany, Argentina, Italy, Mexico, United States and Portugal.

Bruna was part of several literary events in Brazil, whether giving workshops and lectures or engaging in debates. She was one of the poets invited to speak at FLIP 2013. Her meeting with the audience of the event made Rua da Padaria one of the top ten best-selling books during the Book Fair of Paraty, Rio de Janeiro, that year. She also spoke the Göteborg Book Fair in 2014 in Sweden, as a member of the oficial comission of writers representing Brazil.

Bruna Beber made her first short visual exhibition in 2011: PAPÉIS PRIVADOS [“PRIVATE PAPERS”] – shown only in the restrooms of the literary event Balada Literária [“Literary Night Out”] – in São Paulo. The pieces were poems written in toilet seat covers framed in glass.

Besides literature, she has a work in visual arts and debuted her first solo exhibition in February, 2016 – Brinquedos Espalhados (Scattered Toys) – at Oi Futuro (Ipanema, Rio de Janeiro, Brazil), within the project Programa Poesia Visual (Visual Poetry Program), curated by Alberto Saraiva. This exhibition runs untill May 08th, 2016, and covers more than thirty works produced during the last 10 years, such as: audios, videos, sculptures, drawings, books, paintings, photos and objects.

Her debut as playwright was in the play FRAGMENTOS [“FRAGMENTS”], based in the book “A Lover’s discourse: Fragments” by R. Barthes, as the author of one scene. The play was shown in Rio de Janeiro in 2012. Bruna had her poems adapted to drama, along with C. Lispector and M. Duras texts, in the play AVESSO – Um retrato íntimo [“INSIDE OUT – An intimate portrait”], in São Paulo in 2012.

Some anthologies featuring Bruna Beber’s poems: É agora como nunca (Companhia das Letras, 2017), Garganta (Azougue Editorial, 2016), ¿Qué será de ti?/ Como vai você? – Poesia Joven de Brasil (Espanha e México: Vaso Roto Ediciones, 2014). Poesia.br [“Poetry.br”], anthology of Brazilian poetry from the Amerindian chants up to contemporary poetry (Azougue Editorial, 2013), Amar Verbo Atemporal [“Love Timeless Verb”] (Rocco, 2012),  Otra línea de fuego [in Spanish: “Another Front of Fire”] (Selo Maremoto, 2009), a spanish anthology of Brazilian contemporary poetry; Traçados Diversos, antologia de poesia contemporânea [“Diverse Traces, Contemporary Poetry Anthology”] (Scipione, 2009); Poesia do dia: poetas de hoje para leitores de agora [“Poetry of the Day: Poets from Today for Readers Now”] (Ática, 2008); Caos portátil: poesía contemporánea del Brasil [in Spanish: “Portable Chaos: Brazilian Contemporary Poetry”] (El Billar de Lucrecia, 2007);